Um desconhecido chamado ansiedade

by - segunda-feira, março 13, 2017


Bem-vindo, por favor, entre. 
Se sinta à vontade, só não repara nessa bagunça. 
É, a bagunça tá aí, mas eu tentei arrumar, eu juro!
Você disse que viria mais tarde, e por quê chegou tão cedo? 
Ah, eu deveria estar preparada pra isso? 
Acho que não. Com certeza, não!

Moço, quem é você?
Não, eu não te conheço
Quer um café?
Não toma café? Tudo bem
Que tal um chá?
Você gosta? Então, aqui, pega uma xícara e sente-se ali

Diga-me quem é você
Me conte o porquê de parar aqui
Sendo que eu nem te conheço 
Eu nunca te vi
Nem ouvi falar de ti

Então você acha que eu tô esquisita?
Como você pode achar isso se nem me conhece?
Nossa, que aperto no peito, logo vai passar.
Mas, me conte, qual seu nome?
Ansiedade? Diferente, né?

Moço, desculpa, o senhor poderia ir embora? 
Eu não estou bem.
Nossa, que tontura.
Moço, me ajuda!
Por que o senhor está indo embora?
Moço, por favor!

E ele se foi, e eu continuei ali
Com aquela palpitação,
Suando frio,
Tonta
E confusa.
Ansiedade, eu te odeio!

You May Also Like

2 comentários

  1. Tive uma crise de ansiedade um dia desses na rua. Pensei que eu ia ficar doida e morrer sem ar. Mas deu tudo certo no final.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isa, detesto quando tenho crises na rua... Ainda bem que deu tudo certo!
      Um dia iremos melhorar disso.

      Beijos,
      Isa ♥

      Excluir